ops

Mittwoch, 31. Dezember 2008

seitens der Städte.. Lissabon.. Diário gráfico

LISSABON 2008
Kino:G.Ludovice

Diário gráfico: Feeling that bárbaro
Pintura a óleo, 2007

Montag, 22. Dezember 2008

seitens der Städte.. WIEN: Thomas Bernhard

WIEN 2008
Kino:G.Ludovice


Thomas Bernhard
9-2-1931, Heerlen, Holanda
12-2-1989, Gmunden, Áustria

Thomas Bernhard, escritor polémico e marginalizado, manteve sempre com seu país adoptivo uma relação de amor e ódio, reflectida também no seu testamento, no qual proibia expressamente a encenação de suas peças teatrais em território austríaco.
Suas obras foram objecto de polémica na Áustria mesmo após sua morte, especialmente seu último trabalho, Heldenplaz (1988), que denuncia o ressentimento anti-semita latente nesse país durante o pós-guerra.
Nos anos 50, dedicou-se à poesia, centrando-se nos temas da morte e da injustiça social, e, a partir dos anos 60, produziu textos teatrais provocadores, como Die Jagdgesellschaft (Grupo de Caça), 1973, nos quais protesta contra o espírito pequeno-burguês. Seus textos autobiográficos reflectem uma infância cheia de problemas.

Thomas Bernhard (TB) é, não só criador de um estilo, mas um dos escritores mais originais do século XX, tanto no domínio da ficção como do teatro. A poesia tem menos relevância no conjunto da sua obra. Autor prolífico, denso, musical - que foi, em simultâneo, uma figura truculenta, polémica, arrogante, elitista, corajosa e lúcida.
Autor de O Sobrinho de Wittgenstein, criou uma obra com uma construção de tipo musical, baseada em temas e variações.
Quando chego a Nathal, pergunto a mim próprio o que é que faço em Nathal, chego a Viena e pergunto a mim próprio o que é que faço em Viena.
E a verdade é que apenas sou feliz quando estou sentado no carro entre o lugar que acabei de deixar e o outro para onde me dirijo, apenas sou feliz no carro e durante a viagem, mas sou o mais o infeliz recém-chegado que se pode imaginar, onde quer que chegue, logo que chego sou infeliz. Sou daquelas pessoas que no fundo não suportam nenhum lugar do mundo e só são felizes entre os lugares de que partiram e para onde se dirigem. Ainda há alguns anos eu acreditava que uma tal fatalidade mórbida teria de conduzir forçosamente, dentro de pouco tempo, a uma loucura total, mas não me conduziu a essa loucura total, preservou-me efectivamente de uma tal
loucura, de que tive toda a minha vida o maior pavor.
Thomas Bernhard, O sobrinho de Wittgenstein, uma amizade, Assírio e Alvim, 2000

O escritor de Derrubar Árvores - obra agora lançada pela Assírio com tradução de José António Palma Caetano - gostava de Portugal, opondo-o à sua Áustria natal, sobretudo nas coisas simples. Diz o tradutor: "TB veio várias vezes a Lisboa, a primeira das quais, em 1974, e refere-se--lhe num postal como "cidade magnífica." O autor colocava, no mesmo plano de preferências, o nosso país e a Polónia, tendo deixado fragmentos de uma peça escritos num hotel de Sintra. Não era um conhecedor da literatura portuguesa, mas anotações suas revelam indecisão sobre onde colocar a acção de um livro a publicar: "Açores ou Sicília?" Mais à frente, hesita entre Pirandello e Camões, perdidos entre projectos.
Há inclusive referências a Portugal num livro de entrevistas. O que mais lhe agradava era o mar, a comida, os restaurantes.

Donnerstag, 18. Dezember 2008

seitens der Städte.. WIEN: Gina Kaus

WIEN 2008
Kino:G.Ludovice
Gina Kaus
(Viena 1894 – Los Angeles 1985), escritora, foi frequentadora dos círculos literários dos cafés de Viena, especialmente o Café Herrenhof. Née Regina Wiener, Gina casou em 1913 com o músico Josef Zirner, que morreu em 1915.
Tornou-se em 1916 amante do banqueiro judeu Josef Kranz, que financiou os seus projectos literários sob o pseudónimo masculino de Andreas Eckbrecht.
Em 1920 Gina casou com o jornalista e e escritor comunista Otto Kaus, de quem manteve o nome, apesar do divórcio em 1926. A peça "Ladrões em casa", representada em 1917 no Burgtheater de Viena, foi o seu primeiro êxito como autora de comédia.
Escreveu romances (A mãe, 1924 e Catarina a Grande, trad. inglesa 1935) e também contos para periódicos. Manteve relações de amizade com Hermann Broch, Franz Blei, Karl Kraus, Alfred Adler, Robert Musil e Franz Werfel.
Em 1938, sendo já uma escritora consagrada, emigrou para a Suiça no dia do Anschluss, depois para Paris e, enfim, para os Estados Unidos (1940), onde escreveu romances e argumentos para numerosos filmes de Hollywood. Frequentou os meios da emigração, dando-se especialmente com Vicki Baum, Bertolt Brecht, Fritz Kortner e Berthold e Salka Vierfel.

Im: República do café

Sonntag, 7. Dezember 2008

seitens der Städte.. LISSABON: J.Catarino


LISSABON 2008
Kino:G.Ludovice










Apetece-me cada vez mais ver o Tejo de lés a lés, abrir as persianas da sala em toda a sua plenitude, deixar toda a luz entrar, criar contrastes por todo lado, até que o branco das folhas encandeie, de forma a que olhem mais para tudo e menos para o papel.
João Catarino
im:blogue Desenhos do dia

seitens der Städte.. LISSABON: Vergílio Ferreira

LISSABON 2008
Kino:G.Ludovice


Vergílio António Ferreira
Vergílio Ferreira morre em Lisboa, a 1 de Março de 1996 e é sepultado em Melo.

Filho de António Augusto Ferreira e Josefa Ferreira. Em 1920, os pais de Vergílio Ferreira emigram para os Estados Unidos, deixando-o, com seus irmãos, ao cuidado de suas tias maternas. Esta dolorosa separação é descrita em Nitido Nulo. A neve - que virá a ser um dos elementos fundamentais do seu imaginário romanesco é o pano de fundo da infância e adolescência passadas na zona da Serra da Estrela. Aos 10 anos, após uma peregrinação a Lourdes, entra no seminário do Fundão, que frequentará durante seis anos. Esta vivência será o tema central de Manhã Submersa.

Em 1932, deixa o seminário e acaba o Curso Liceal no Liceu da Guarda. Entra para a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, continuando a dedicar-se à poesia, nunca publicada, salvo alguns versos lembrados em Conta-Corrente e, em 1939, escreve o seu primeiro romance, O Caminho Fica Longe. Licenciou-se em Filologia Clássica em 1940. Conclui o Estágio no Liceu D.João III (1942), em Coimbra. Começa a leccionar em Faro. Publica o ensaio "Teria Camões lido Platão?" e, durante as férias, em Melo, escreve "Onde Tudo Foi Morrendo". Em 1944, passa a leccionar no Liceu de Bragança, publica "Onde Tudo Foi Morrendo" e escreve "Vagão "J"".

Atravessa a sua obra o discurso da solidão, como um dos aspectos mais profundos da condição humana, sempre acompanhado pelo silêncio, que advém do abandono da entidade divina.
Perpassa, na obra deste autor, uma tentativa de elevar os problemas individuais à generalidade dos Homens uma vez que não se refere a um "eu" que fala de si, mas um "EU" mais amplo que se refere a todos os Homens. Qualquer que seja a problemática tratada pelo este autor ela parte da reflexão sobre a questão do "eu" mas esse questionamento avança, quase sempre, no sentido do homem ao Homem.

Em Vergílio Ferreira, a consciência do "eu" e da sua solidão se manifestam através da visão, instrumento privilegiado de acesso ao pensamento reflexivo. As personagens de Vergílio Ferreira assumem um papel questionador, procurando esse sentido uma vez que o mundo aparecia (…) sob a forma de uma absurda estupidez.
Os protagonistas de Vergílio Ferreira são, antes de mais, questionadores e problematizadores do real: uns desvinculados ou em vias de se desvincularem da vida; outros, à procura de uma Estrela Polar, guia no caminho ou à espera da resposta E se Deus não existisse?

Durante treze anos (1981-1994) Vergílio Ferreira publicou nove volumes de diário, ao qual pôs o título genérico de Conta-Corrente.
A publicação do diário de Vergílio Ferreira foi uma das poucas tempestades na bonançosa comunidade literária pós 25 de Abril, como também é «um documento precioso sobre a evolução da ideias do século XX português. Vergílio Ferreira era um homem atento a tudo aquilo que o rodeava, quer tivesse interesse político, ou social, ou estético, ou literário. O seu diário veio, assim, agitar a comunidade portuguesa pensante, criando alguns focos de conflito por um lado e manifestações de apoio por outro. «Fiz cinquenta e três anos há dias. (...) É a opinião do Registo Civil (...). E então lembrei-me: e se eu tentasse uma vez mais o registo diário do que me foi afectando?» .

«Extremamente difícil continuar este diário.(...) Que me leiam um romance, não me perturba. Mas não que me leiam a mim.»
«o desejo de “desabafar” não é propriamente um desejo sublime».
«A continuar, só optando pelo registo que transcende os limites pessoais.» .

Este homem reuniu em si diversas facetas, a de filósofo e a de escritor, a de ensaísta, a de romancista e a de professor. Contudo, foi na escrita que mais se destacou, sendo dos intelectuais contemporâneos mais representativos. Toda a sua obra está impregnada de uma profunda preocupação ensaística.Vergílio foi também um existencialista por natureza. A sua produção literária reflecte uma séria preocupação com a vida e a cultura. Este escritor confessou a Invocação ao meu Corpo (1969) trazer em si “ a força monstruosa de interrogar”, mais forte que a força de uma pergunta. ”Porque a pergunta é uma interrogação segunda ou acidental e a resposta a espera para que a vida continue. Mas o que eu trago em mim é o anúncio do fim do mundo, ou mais longe, e decerto, o da sua recriação”. Este pensador tecia reflexões constantes acerca do sentido da vida, sobre o mistério da existência, acerca do nascimento e da morte, enfim, acerca dos problemas da condição humana.Ainda nos restou o imenso homem, que ficou dentro da obra, pois, como o próprio declarou, o autor nunca pode ser dissociado da sua obra porque nela vive, respira e dela fica impregnado.


Vergílio entregava-se à escrita de corpo e alma, tinha essa obsessão; após a qual se sentia vazio, mas depois de um livro voltava a renovar-se para dar corpo a outro. “Escrever, escrever, escrever. Toma-me um desvairamento como o de ébrio, que tem mais sede com o beber para o beber, ou do impossível erotismo que vai até ao limite de sangrar. Escrever. Sentir-me devorado por essa bulimia, a avidez sôfrega que se alimenta do impossível”.(Pensar, 1992). A obra de Vergílio Ferreira recebeu influências do existencialismo de Satre, de Marco Aurélio, Santo Agostinho, Pascal, Dostoievski, Jaspers, Kant e Heidegger. Os clássicos gregos e latinos como Ésquilo, Sófocles e Lucrécio, também assumiram uma importância vital nos pensamentos deste escritor.
No livro Mito e Obsessão na Obra de Vergílio Ferreira, Eduardo Lourenço afirma que “faz parte que se considere Vergílio Ferreira numa perspectiva ideológica, como autor de ruptura e tentativa de superação e reformulação do ideário neo-realista; numa perspectiva metafísica, como romancista do existencial no sentido que ao termo foi dado pela temática chamada existencialista; e, finalmente, numa perspectiva simbólica, como romancista de uma espécie de niilismo criador ou, talvez melhor, do humanismo trágico ou tragédia humanista”. Os romances Uma Esplanada sobre o Mar (1987), pelo qual recebeu o prémio da Associação Portuguesa de Escritores, e Em Nome da Terra (1990) retomam o tema da transitoriedade da vida, sujeita ao passar do tempo. Em 1993 edita em Na Tua Face, uma das suas obras mais exemplares, em que desenvolve uma reflexão aprofundada acerca da beleza e da sua transitoriedade. Este escritor, que aos 80 anos declarou “ vou entrar a escrever no paraíso”.

IM:WIKIPEDIA IM:bIBLIOTECA m.vERGÍLIO fERREIRA

Samstag, 6. Dezember 2008

seitens der Städte.. BERLIN


BERLIN

Sec.XIII/XVII
O primeiro documento histórico berlinense remonta a 1237, aludindo às povoações de Cölln e Berlim, situadas em cada uma das margens do rio Spree, envolvendo o local onde hoje se situa Nikolaiviertel. As duas localidades aliaram-se em 1307, tendo constituído um município comum.

Porta de Brandemburgo
Com a morte, em 1319, do último governante ascânio, Brandemburgo foi disputada pelas casas de Luxemburgo e Wittelsbach, o que originou lutas sangrentas.

Em 1414, os habitantes de Berlim, cansados de tanto sofrimento, solicitaram o auxílio do imperador do Sacro Império Romano-Germânico que lhes enviou, como protector, Frederico de Hohenzollern, dando origem a 500 anos de domínio da Casa de Hohenzollern.
Em 1432, Colônia e Berlim consolidam a aliança de 1307, tendo-se unificado formalmente.

Em 1486 tornou-se na sede do eleitorado de Brandemburgo.
Com a subida, em 1640, de Frederico Guilherme I de Brandemburgo ao trono de Brandemburgo, a cidade de Berlim desenvolveu-se enormemente, tanto em extensão como em quantidade de habitantes, atingindo, no final do século XVII, o número de 20000.

Na segunda metade desse século, Berlim foi fortificada, abriu-se um canal ligando os rios Spree e Oder e foram plantadas tílias na Unter den Linden - hoje uma das mais importantes artérias da cidade, em cujo extremo poente se situa o mais conhecido monumento de Berlim: a Porta de Brandemburgo.
im.wikipedia

Freitag, 5. Dezember 2008

seitens der Städte..

seitens der Städte.. WIEN: Milena Jesenská

WIEN 2008
Kino:G.Ludovice
Milena Jesenská (1896-1944), jornalista e tradutora checa.
Outra figura feminina dos cafés literários de Praga e, depois, dos de Viena (O Café Central e o Café Herrenhof). Era filha de um dentista de Praga, com quem viveu em conflito. Aos 20 anos, Milena conheceu Ernst Polak, um tradutor judeu frequentador de cafés que a apresentou ao Café Arco, de Praga, onde deambulavam Kafka (que não chegou, então, a conhecer pessoalmente), Max Brod, Franz Werfel, entre muitos outros. Depois de metida pelo pai num asilo psiquiátrico durante oito meses, Milena fugiu, casou com Polak e foi com ele viver para Viena. Ali começou uma hesitante carreira de jornalista de moda. O marido era-lhe infiel e Milena meteu-se nas drogas, sobretudo cocaína. Teve um breve romance com Hermann Broch e, depois, com Franz Kafka, por correspondência. Milena apaixonou-se pelos contos de Kafka e escreveu-lhe a propor traduzi-los para checo. Dessa carta de 1919 nasceu uma correspondência que durou até 1923.

Kafka e Milena encontraram-se, porém, raras vezes. O principal encontro durou apenas dias e teve lugar em Viena, em 1920. Terão aparecido juntos, ao que se diz, nos cafés literários da Herrengasse. Kafka já estava gravemente doente e Milena não se decidia a deixar Polak por um escritor tuberculoso. Após a morte de Kafka (1924), Milena passou os manuscritos que ele lhe confiara a Max Brod, que os publicou. Depois de se ter casado mais duas vezes, Milena adoeceu gravemente. Quando recuperou da doença tornou-se dependente de drogas e sexualmente promiscua. Abandonando a droga, militou no Partido Comunista, de que seria expulsa por protestar contra os processos de Moscovo de 1936.

Tornou-se numa combativa militante anti-nazi, entrando para a clandestinidade após a ocupação alemã de Praga, em 1939. Em 1940 foi presa e enviada para o campo de concentração de Ravensbrück, onde morreu em 1944.
im:Blogue: República do café

seitens der Städte.. BERLIN: Guido Sieber

BERLIN 2008
Kino:G.Ludovice
Die Berliner Gesellschaft




Gangster Balladen




BERLIN 2008
KINO:G.Ludovice

Guido Sieber at Zitadelle Spandau

Sonntag, 30. November 2008

Mittwoch, 26. November 2008

seitens der Städte.. LONDON: Joyce





LONDON,Thames 2008
KINO:G.Ludovice
KINO: Joyce, 1918
Casou-se, em Londres em 1931, com Nora

James Augustine Aloysius Joyce
(Dublin, 2 de Fevereiro de 1882 — Zurique, Suíça, 13 de Janeiro de 1941)

Foi um escritor irlandês expatriado. É amplamente considerado um dos autores de maior relevância do século XX.
Suas obras mais conhecidas são o volume de contos Dublinenses (1914) e os romances Retrato do Artista Quando Jovem (1916), Ulisses (1922) e Finnegans Wake (1939) - o que se poderia considerar um "cânone joyceano".

Embora Joyce tenha vivido fora de seu país natal pela maior parte da vida adulta, suas experiências irlandesas são essenciais para sua obra e fornecem-lhe toda a ambientação e muito da temática. Seu universo ficcional enraíza-se fortemente em Dublin e reflecte sua vida familiar e eventos, amizades e inimizades dos tempos de escola e faculdade. Desta forma, ele é ao mesmo tempo um dos mais cosmopolitas e um dos mais particularistas dos autores modernistas de língua inglesa.

O mais velho de dez filhos, James Joyce nasce em uma abastada família católica no subúrbio de
Rathgar, em Dublin. A família de seu pai, proveniente de Cork, era de ricos comerciantes. Em 1887, o pai, John Stanislaus Joyce, antes secretário em uma destilaria, foi nomeado colector de taxas imobiliárias pela Dublin Corporation (o Conselho Municipal); a família muda-se então para o novo e elegante subúrbio de Bray. No ano seguinte, o menino começa sua educação no Clongowes Wood College, um internato no Condado de Kildare.

Em 1891, James escreveu um poema, Et Tu Healy, sobre a morte de Charles Stewart Parnell. Seu pai -lo imprimir e até mandou uma cópia para a biblioteca do Vaticano. Em Novembro do mesmo ano, o nome John Joyce foi inscrito na Stubbs Gazette (um registro oficial de falências) e afastado do trabalho. Em 1892, James tem de sair de Clongowes pois seu pai não podia mais pagar por sua matrícula; em 1893, John foi demitido com uma pensão. Assim começou uma descida rumo à pobreza para a família, principalmente devido ao consumo de álcool por John e sua inaptidão financeira em geral. John Joyce foi o modelo para o caráter de Simon Dedalus no Retrato do Artista Quando Jovem e Ulisses, assim como do tio do narrador em diversos contos de Dublinenses.
Após Clongowes, Joyce estudou em casa e por um breve tempo na escola dos Christian Brothers na rua Richmond norte, antes que se lhe oferecesse uma vaga na escola jesuíta de Dublin, o Belvedere College, em 1893. A oferta foi feita, na esperança de que se demonstrasse que ele tinha uma vocação e se juntaria à Companhia de Jesus. Joyce, porém, rejeitou o catolicismo aos dezasseis; apesar disso, a filosofia de Tomás de Aquino permaneceria uma de suas fortes influências por toda a sua vida.

Ele matriculou-se no University College Dublin em 1898. Estudou línguas modernas, especificamente inglês, francês e italiano. Também envolveu-se com os círculos teatrais e literários da cidade. Sua resenha do Novo Drama de Henrik Ibsen foi publicada em 1900 pela Forthnightly Review e resultou numa carta de agradecimento pelo próprio dramaturgo norueguês. Joyce escreveu alguns outros artigos e pelo menos duas peças (uma delas intitulada A Brilliant Career, "Uma Carreira Brilhante"; ambas desde então se perderam) durante este período. Muitas das suas amizades do University College aparecem como personagens nos livros de Joyce.
1902-4: Anos decisivos
Joyce foi a Paris pela primeira vez em
1902 para estudar medicina (à época, havia também um efervescente movimento artístico em Montparnasse e Montmartre). Em 1903, retorna à Irlanda, pois sua mãe morria de câncer. Busca manter-se como jornalista e professor particular. Em Janeiro do ano seguinte, escreve Um Retrato do Artista, um ensaio-narrativa sobre estética, em um dia, mas a obra é recusada pela revista livre-pensante Dana. Em seu vigésimo-segundo aniversário, decide revisar a história e transformá-la num romance que ele planeava chamar Stephen Hero (Stephen Herói). No mesmo ano, publica seu primeiro trabalho na idade adulta: a sátira desaforada O Santo Ofício, na qual proclamava-se superior a muitos membros proeminentes da Renascença Céltica e afirma sua herança lingüística inglesa.

Ainda em 1904, conheceu
Nora Barnacle, uma jovem do Condado de Galway, que trabalhava como camareira e viria a ser sua companheira por toda a vida. Joyce escolheu o dia 16 de Junho para ser imortalizado em sua obra Ulisses porque foi nesse dia em que fez sexo pela primeira vez com Nora, à época uma jovem virgem de vinte anos, apesar de a imprensa irlandesa publicar que nesse dia eles "caminharam juntos" pela primeira vez. Na verdade, Nora teve medo de completar o coito e o masturbou "com os olhos de uma santa", como Joyce relatou em uma carta em que relembrou o acontecido.
Joyce ainda permanece em Dublin por um tempo, bebendo bastante. Vai morar com o estudante de medicina Oliver St John Gogarty, que serviu de base para a personagem Buck Mulligan em Ulisses. Depois de dormir por seis noites na Torre Martello, de Gogarty, ele sai após ambos discutirem, embebeda-se em um bordel e envolve-se numa briga, da qual é resgatado por Alfred Hunter, um conhecido de seu pai; Hunter, um judeu irlandês, fornece o modelo para
LeopolD Bloom, o herói de Ulisses.

Pouco depois, ele foge com Nora. O casal parte em exílio auto-imposto, indo primeiro para Pula (hoje na Croácia) e depois Trieste (Itália), ambas então na Áustria-Hungria, para ensinar inglês na escola Berlitz. Um de seus alunos triestinos foi
Ettore Schmitz; conheceram-se em 1907 e por longo tempo foram amigos e críticos mútuos. Joyce passou a maior parte das décadas seguintes no Continente. Aí nasceriam seus filhos Giorgio (1905) e Lucia (1907; seu nome pronuncia-se à italiana, como Lutchía).
Joyce publica, em 1907, Música de Câmara (Chamber Music) (batizada, segundo ele afirmou, a partir do som de urina num penico, chamber pot) uma antologia de 36 poemas líricos curtos. A obra, inspirada na poesia do período elisabetano (i.e. autores como William Shakespeare), levou à sua inclusão na Antologia Imagista, editada por Ezra Pound, que mostraria ser como um defensor de Joyce por mais de uma década.
Em visitas a Dublin, abre o primeiro cinema da cidade, o Volta, em
1909, mas fracassa; depois, em 1912, desentende-se com um editor sobre sua nova obra, e publica contra ele, no mesmo ano, Gás de um Bico (Gas from a Burner).
A obra que Joyce queria fazer sair em sua cidade natal era Dublinenses, uma série de quinze contos sobre a cidade e a vida de seus habitantes. Os contos são uma análise penetrante da estagnação e paralisia da sociedade de Dublin. Incorporam epifanias, uma palavra usada particularmente por Joyce, que para ele significava uma súbita consciência da "alma" de algo.
Apesar de seu interesse por teatro desde a juventude, Joyce publicou apenas uma peça, Exilados, iniciada em Trieste logo após a erupção da
Primeira Guerra Mundial e publicada em 1918. Um estudo da relação marido-mulher, a peça conecta-se com a obra anterior "Os Mortos" (o último conto dos Dublinenses) e com a posterior Ulisses.
Esta também foi iniciada na cidade italiana em
1914, e ainda levaria muitos anos para ser completada e publicada. Porém, começada a guerra, a permanência dos Joyce em território austro-húngaro se torna impossível, já que eram cidadãos britânicos e, portanto, inimigos. Assim, em 1915, Joyce e Nora mudam-se para a neutra Suíça; após breves estadas em outras cidades, estabelecem-se em Zurique.
im:Wikipedia

Dienstag, 25. November 2008

seitens der Städte..







seitens der Städte.. LONDON : Bach

LONDRES 2008
KINO:G.Ludovice
Johann Christian Bach
(Leipzig, 5.09.1735 / Londres, 1.01.1782)
Compositor alemão, o filho mais jovem de Johann Sebastian Bach (riacho, em alemão).
Compôs numerosos trabalhos orquestrais e de câmara, além de várias óperas.
Viveu um bom tempo de sua vida na Inglaterra, motivo pelo qual ficou conhecido como:
"Bach Londrino" ou o Bach Inglês.

Bach foi o último dos onze filhos de Johann Sebastian Bach com Anna Magdalena Wülken. Começou a estudar música com o pai e, provavelmente, com o primo do mesmo, Johann Elias Bach. Acredita-se também que o Livro II de O Cravo Bem Temperado, famosa composição de Johann Sebastian Bach, tenha sido escrito e utilizado na instrução do filho mais novo. Christian serviu como copista de J.S. Bach e após a morte do pai, em 1750, ele se tornou aluno de seu meio-irmão, Carl Philipp Emanuel Bach, na cidade de Berlim.
Em 1754, foi à Itália, estudar contraponto com o padre Giovanni Battista Martini e de 1760 a 1762, trabalhou como organista na catedral de Milão. Lá, escreveu duas Missas, um Réquiem, um Te Deum, entre outras obras . Foi nessa época que J. C. Bach se converteu ao catolicismo.
Foi o único dos filhos de J. S. Bach a escrever óperas em italiano, começando com árias inseridas em óperas de outros autores, prática conhecida como pasticci. Foi contratado pelo Teatro Regio em Turim, para compor uma ópera séria, Artaserse, que estreou em 1760. A apresentação foi um enorme sucesso: teatros de Veneza e de Londres fizeram ofertas para que compusesse outros trabalhos. Johann aceitou a oferta de Londres e partiu para a Inglaterra em 1762, fixando-se em Londres, onde ele passou o resto de sua vida, uma decisão bastante semelhante à que George Frideric Handel havia tomado 50 anos antes. A catedral de Milão manteve seu cargo em aberto na esperança de que ele voltasse para reassumi-lo.
Durante vinte anos, ele foi o músico mais popular da Inglaterra: obras dramáticas, levadas ao palco no King's Theatre foram muito bem recebidas pelo público.
A primeira dessas óperas, Orione, foi uma as primeiras poucas obras da época que utilizou a clarineta. Sua última ópera séria, La Clemenza di Scipione (1778), continuou popular entre seus ouvintes londrinos durante muitos anos e tem paralelos interessantes com a última obra de Mozart neste gênero, La Clemenza di Tito (1791).
Johann Christian foi designado Mestre de Música da rainha e seus deveres incluíam ministrar aulas de música a ela e seus filhos e acompanhar o Rei Jorge III ao piano, enquanto o rei tocava flauta. Os concertos de Johann Christian promovidos em Hanover Square, em parceria com Karl Friedrich Abel logo se tornaram os mais populares dos entretenimentos públicos, pagos. Os músicos mais famosos daquele período, como o violoncelista italiano Giovanni Battista Cirri, participaram desses concertos e muitas das obras de Haydn tiveram no mesmo local sua estreia na Inglaterra.

Em Londres, em 1764, J. C. Bach fez amizade com o jovem Wolfgang Amadeus Mozart, que estava visitando a cidade como parte do roteiro de infindáveis apresentações arranjadas por seu pai, Leopold Mozart, realizadas com o objectivo de exibir a criança prodígio. Muitos especialistas consideram que J. C. Bach foi uma das mais importantes influências sobre Mozart que com ele aprendeu a utilizar em sua música uma brilhante e atraente textura. Esta influência pode ser percebida na abertura da sonata para piano em si bemol, KV 315c de 1783–1784, que está muito próxima de duas sonatas de J. C. Bach que Mozart conhecia e indirectamente, de uma tentativa anterior numa sonata de J. C. Bach (sonata para piano em Dó menor, Op. 5 nº 6) para combinar o estilo galante de seus dias com música frugal.



Johann Christian Bach faleceu pobre, no primeiro dia de 1782 e foi enterrado numa sepultura para indigentes, não identificada, na Igreja St Pancras Old com o sobrenome sendo grafado errado no registro do enterro como Back.
Mozart, numa carta a seu pai disse que "foi uma perda para o mundo da música". Quando Mozart e J. C. Bach se encontraram pela primeira vez, Leopold relatou que os dois eram "inseparáveis". Ambos sentavam-se ao órgão, Mozart no colo de Johann Christian, ambos tocando durante várias horas.

Os especialistas com frequência apontam que Mozart foi fortemente influenciado por Johann Christian. Isto explica porque, já quando adulto, Mozart abraçaria a música do Bach mais "velho" (Johann Sebastian). Influências de Johann Christian também podem ser encontradas nas sinfonias e concertos paa piano do jovem Mozart. O clima e o som das músicas compostas pelo jovem Mozart são bastante similares aos das composições de Johann Christian. Na ocasião em que Johann Christian faleceu, Mozart estava compondo seu "Concerto para Piano nº 12, em Lá maior, K 414, o Andante do segundo movimento tem um tema semelhante ao encontrado na abertura da ópera La calamità del cuore de J. C. Bach.


Embora a fama de J. C. Bach tivesse declinado nas décadas após sua morte, sua música ainda era apresentada nos concertos de Londres com alguma regularidade, frequentemente junto com as obras de Haydn . O século XIX viu nascer a pesquisa académica sobre a obra e a vida do pai de Johann Christian, mas frequentemente isso levou à exaltação da música de J. S. Bach em prejuízo da de seus filhos. Phillip Spitta escreveu, no fim da biografia de sua autoria a respeito de J. S. Bach, que foi especialmente nos filhos de Bach que vemos os sinais da decadência daquele poder que culminou em Sebastian depois de séculos de desenvolvimento. (Spitta, Vol. 3, página 278).

E o primeiro biógrafo de J. S. Bach, Johann Nikolaus Forkel, escreveu especificamente sobre Christian que: O espírito original de Bach ... não pode ser encontrado em nenhuma de suas obras (New Bach Reader, página 458). Apenas no século XX foi que os eruditos e o mundo musical começou a entender que os filhos de Bach tinham o direito de compor num estilo diferente do de seu pai sem que, com isso, seus idiomas musicais fossem inferiores ou sem qualidade, e que compositores como Johann Christian passaram a ser vistos com um interesse renovado.

Johann Christian foi um dos primeiros compositores a dar preferência ao recém desenvolvido pianoforte em detrimento dos antigos instrumentos de teclas, como o cravo. As primeiras músicas criadas por Johann Christiam trazem a influência de seu irmão mais velho, Carl Philipp Emanuel Bach enquanto que seu período intermediário, passado na Itália, foi influenciado por Giuseppe Sammartini.
im: Wikipedia

Montag, 24. November 2008

seitens der Städte.. LUANDA: Gonçalo M.Tavares

LUANDA 2006
Kino:G.Ludovice
Gonçalo M. Tavares, escritor português nasceu em 1970 em Angola, Luanda.

Recebeu os mais importantes Prémios em Língua portuguesa: o Portugal Telecom 2007; o Prémio José Saramago 2005 e o Prémio LER/Millennium BCP 2004 com o romance - "Jerusalém" (Caminho); o Prémio Branquinho da Fonseca da Fundação Calouste Gulbenkian e do Jornal Expresso, com o livro O Senhor Valéry (Caminho); o Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores com Investigações.Novalis (Difel) e o Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores "Camilo Castelo Branco" com água, cão, cavalo, cabeça (Caminho).

A minha questão prende-se com o facto, de as tábuas no geral, se soltarem e desgastarem com muita frequência. E o chão do mundo não é outra coisa senão isto: um chão que se pode soltar. A violência imprevista que surge dos dias vem, aliás, destas tábuas repentinamente ameaçadoras que fazem um homem cair e uma mulher apaixonar-se. Uma cara magnífica pode ser prejudicada subitamente, e tal como um nome enche uma coisa e por vezes parece ocupá-la por completo, a fealdade também pode substituir, de um momento para o outro, a beleza; e o acidente é isto: um movimento geométrico mau.

Os seus livros deram origem a peças de teatro, objectos artísticos, vídeos de arte, ópera, etc. Tem 21 livros a serem traduzidos em mais de dezasseis países.
O romance "Jerusalém" foi incluído na edição europeia de "1001 livros para ler antes de morrer – um guia cronológico dos mais importantes romances de todos os tempos".
José Saramago, no discurso de atribuição do Prémio ao romance "Jerusalém", disse:"'Jerusalém' é um grande livro, que pertence à grande literatura ocidental. Gonçalo M. Tavares não tem o direito de escrever tão bem apenas aos 35 anos: dá vontade de lhe bater!"
Dele disse ainda Vila-Matas, no Magazine Littéraire: "... de narrador de raça a génio de um imenso futuro. É um escritor que não vai continuar muito mais tempo despercebido nessa Europa…"

Obras:
O Reino
Um homem: Klaus Klump - Caminho
2003
A máquina de Joseph Walser - Caminho
2004
Jerusalém - Caminho
2004 (Prémio José Saramago 2005, Prémio Ler/Millenium-BCP e Prémio Portugal Telecom de Literatura 2007 (Brasil))
Aprender a rezar na Era da Técnica - Caminho
2007

[O Bairro
O Senhor Valéry - Caminho
2002 (Prémio Branquinho da Fonseca da Fundação Calouste Gulbenkian e do jornal Expresso)
O Senhor Henri - Caminho
2003
O Senhor Brecht - Caminho
2004
O Senhor Juarroz - Caminho
2004
O Senhor Kraus - Caminho
2005
O Senhor Calvino - Caminho
2005
O Senhor Walser - Caminho
2006
O Senhor Breton - Caminho 2008

Livros Pretos (canções)
água cão cavalo cabeça -
2006 [Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores "Camilo Castelo Branco"]

Enciclopédia
Breves notas sobre ciência - Relógio d'Água
2006
Breves notas sobre o medo - Relógio d'Água
2007

Bloom Books
A perna Esquerda de Paris seguido de Roland Barthes e Robert Musil - Relógio d’ Água
2004

Poesia
1 - Relógio d'Água
2004

Estórias
Histórias falsas (contos) - Campo das Letras
2005

Teatro
A Colher de Samuel Beckett, Teatro - Campo das Letras
2003

Arquivos
Biblioteca - Campo das Letras
2004
Investigações
Livro da dança - Assírio e Alvim
2001
Investigações. Novalis - Dífel
2002 (Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores)
Investigações geométricas - Teatro do Campo Alegre
2005
im:Wikipedia

seitens der Städte.. Cortázar

Samstag, 22. November 2008

seitens der Städte.. BERLIN


BERLIN, Zitadelle- Spandau 2008
Kino:G.Ludovice

Alguns séculos a.C., a zona onde hoje se situa Berlim começou a ser habitada por diversas tribos que se estabeleceram nas margens dos rios Spree e Havel.

No século VI, diversas tribos eslavas construíram fortificações nas actuais zonas suburbanas de Spandau e Köpenick.

Por volta do século XI, Albrecht, guerreiro saxão da Casa dos Ascânios, derrota as tribos eslavas e torna-se o primeiro Markgraf (conde) de Brandemburgo. Por essa altura, estabeleceram-se, nas margens do rio Spree, imigrantes de outras regiões, nomeadamente do vale do Reno e da Francónia.
Im:Wikipedia

seitens der Städte.. Lissabon: Peixoto

LISSABON 2007
Kino:G.Ludovice

José Luís Peixoto (1974, Galveias, Portalegre, Portugal), escritor Português.
É licenciado em Línguas e Literaturas Modernas (Inglês e Alemão) pela Universidade Nova de Lisboa.

fingir que está tudo bem: o corpo rasgado e vestido com roupa passada a ferro, rastos de chamas dentro do corpo, gritos desesperados sob as conversas: fingir que está tudo bem: olhas-me e só tu sabes: na rua onde os nossos olhares se encontram é noite: as pessoasnão imaginam: são tão ridículas as pessoas, tão desprezíveis: as pessoas falam e não imaginam: nós olhamo-nos: fingir que está tudo bem: o sangue a ferver sob a pele igual aos dias antes de tudo, tempestades de medo nos lábios a sorrir: será que vou morrer?, pergunto dentro de mim: será que vou morrer?, olhas-me e só tu sabes:ferros em brasa, fogo, silêncio e chuva que não se pode dizer:amor e morte: fingir que está tudo bem: ter de sorrir: um oceano que nos queima, um incêndio que nos afoga.
o tempo, subitamente solto pelas ruas e pelos dias, como a onda de uma tempestade a arrastar o mundo,mostra-me o quanto te amei antes de te conhecer.eram os teus olhos, labirintos de água, terra, fogo, ar,que eu amava quando imaginava que amava. era a tuaa tua voz que dizia as palavras da vida. era o teu rosto.era a tua pele. antes de te conhecer, existias nas árvores e nos montes e nas nuvens que olhava ao fim da tarde.muito longe de mim, dentro de mim, eras tu a claridade.

Tem publicado poesia e prosa. Recebeu o Prémio Jovens Criadores (área de literatura) nos anos 97, 98 e 2000.
Em 2001, o seu romance «Nenhum Olhar» recebeu o Prémio Literário José Saramago. Está representado em diversas antologias de prosa e de poesia nacionais e estrangeiras.
É colaborador de diversas publicações nacionais e estrangeiras.
Em 2005, escreveu as peças de teatro «Anathema» (estreada no Theatre de la Bastille, Paris) e «À Manhã» (estreado no Teatro São Luiz, Lisboa).
Em 2006, publicou o romance «Cemitério de Pianos».
Em 2007 estreou a peça "Quando o Inverno Chegar", no Teatro São Luiz, em Lisboa.
Os seus romances estão publicados em França, Itália, Bulgária, Turquia, Finlândia, Holanda, Espanha, República Checa, Croácia, Bielo-Rússia e Brasil. Estando actualmente em preparação edições no Reino Unido, Hungria e Japão.

Obras Publicadas
Ficção
2000 - Morreste-me
2000 - Nenhum Olhar
2002 - Uma Casa na Escuridão
2003 - Antídoto
2006 - Minto Até ao Dizer que Minto
2006 - Cemitério de Pianos
2007 - Hoje Não
2007 - Cal
Poesia
2001 - A Criança em Ruínas
2002 - A Casa, a Escuridão.
2008 - Gaveta de papéis
im:Wikipedia